Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
Sondagem
Qual a sua área de modelismo preferida?
Militar aéreo
Militar terrestre
Militar naval
Civil aéreo
Civil terrestre
Civil naval
Ficção
Outro
Ver Resultados

  • Currently 4.17/5

Rating: 4.2/5 (1878 votos)

ONLINE
1




Partilhe esta Página



 

PARCERIA


Os administradores deste site aceitam propostas de parceria para análise.

 


  

EXPOSIÇÕES NACIONAIS


OS MEUS KITS

ÚLTIMO TRABALHO REALIZADO


MILITARIA

ÚLTIMO AVIÃO A HÉLICE INTRODUZIDO/ATUALIZADO

Fairchild C-82 Packet

Fairchild C-82 Packet

Douglas C-124 Globemaster II

Douglas C-124 Globemaster II


ÚLTIMO AVIÃO A REATOR INTRODUZIDO/ATUALIZADO 

Mikoyan-Gurevich MiG-17

Mikoyan-Gurevich MiG-17


ÚLTIMO HELICÓPTERO
INTRODUZIDO/ATUALIZADO

AgustaWestland EH-101 Merlin

AgustaWestland EH-101 Merlin


ÚLTIMO VEÍCULO SOBRE LAGARTAS INTRODUZIDO/ATUALIZADO

Type 97 ShinHoTo Chi-Ha medium tank

Type 97 ShinHoTo Chi-Ha


ÚLTIMO VEÍCULO SOBRE RODAS INTRODUZIDO/ATUALIZADO

Ford Model C11 ADF

Ford Model C11 ADF


 

AJUDE A  MANTER ESTE PROJETODonativos



Total de visitas: 206809
P&H - Lockheed C-5 Galaxy
P&H - Lockheed C-5 Galaxy

Lockheed C-5 Galaxy

- Avião de transporte militar - E.U.A. (1970) -

Lockheed C-5 Galaxy - Foto

By U.S. Air Force photo by Brett Snow [Public domain], via Wikimedia Commons


País de origem Fabricante
E.U.A. Lockheed Corporation
Lockheed Martin
Produção total
Projeto antecedente
 aparelhos  
1º voo
Período de produção
30 de julho de 1968 C-5A: 1968–1973
C-5B: 1985–1989
Introduzido em
Retirado em
1970  
Período histórico
Principais utilizadores
Guerra do Vietnam; Guerra do Golfo E.U.A.

RESUMO HISTÓRICO


O Lockheed C-5 Galaxy é um avião de transporte estratégico quadrirreactor, com asa cantilever alta e empenagem (cauda) em T, produzido pela empresa Lockheed Martin Corporation e usado pela Força Aérea dos Estados Unidos (USAF).

O primeiro voo do protótipo realizou-se a 30 de junho de 1968 e, até 1982, foi o maior avião do mundo. Atualmente só há três aviões maiores que ele: são os Russos An-124 Ruslan e An-225 Mriya, da Antonov e o A380, da Airbus. O C-5 ficará em serviço na USAF até 2030.

O desenvolvimento do Galaxy começou no início da década de 1960 para atender ao requerimento CX-4 (depois CX-HLS) da USAF.

A partir de 1960, com o aparecimento de reatores mais potentes, passou a ser possível criar um avião de transporte militar de tamanho gigante. O objetivo da Lockheed era construir um avião que pudesse transportar no seu porão um peso de 115 toneladas para distâncias de 6000 km ou 65 toneladas para distâncias de 12000 km, podendo além disso utilizar pequenas pistas de 1200 metros.

Os testes do novo avião tiveram resultados relativamente bons. Os custos, no início estimados em 20 milhões de dólares por unidade, chegaram aos 60 milhões de dólares, levando a USAF a reduzir a sua encomenda de 115 para 81 aparelhos, que começaram a entrar em serviço em maio de 1969.

Durante os primeiros anos, os C-5 Galaxy estiveram no centro de polémicas económicas e políticas muito sobretudo devido ao elevado custo relativamente ao inicialmente previsto, mas, por volta de 1971, já com os C-5 totalmente operacionais, não restavam dúvidas que a sua chegada aumentara significativamente a capacidade do MAC (Military Airlift Command) de transportar qualquer tipo de carga ao redor do mundo com rapidez e eficiência.

Não nos devemos esquecer que por essa altura, os Estados Unidos estavam completamente envolvidos na Guerra do Vietnam e necessitavam com urgência dos serviços de um avião como o C-5. Este fez a sua estreia no conflito em agosto de 1971 e assumiu um papel cada vez mais importante em termos logísticos transportando grandes quantidades de carga de uma só vez.

A importância estratégica deste avião para os Estados Unidos da América deixou de ser questionada e até ao momento já foram construídas 4 versões.


VARIANTES E VERSÕES


Lockheed C-5A
- Avião de transporte militar - 

 

Alçado Lateral 700px
Alçado Superior Alçado Frontal Alçado Inferior 

 

Tripulação Comprimento Envergadura Altura Superfície alar
   m  m  m   m2
Peso vazio
Peso máximo à descolagem
Velocidade máxima Autonomia Altitude operacional
 kg   kg  km/h  km   m 
Motorização
  
Armamento
  

RESUMO DA VARIANTE/VERSÃO


O avião que saiu da fábrica da Lockheed nos inícios do ano 1968 tinha certas semelhanças com o Lockheed C-141 Starlifter. Tal como ele, era um avião quadrirreactor, com asa cantilever alta e empenagem (cauda) em T e incorporava portas de carga que podiam ser abertas em pleno voo. Porém, a seção dianteira da fuselagem era bastante diferente do C-141, principalmente no que diz respeito à cabine de pilotagem, situada sobre a parte da frente do porão de carga. Essa disposição, incomum para a época, possibilitou que a parte frontal da fuselagem se pudesse “abrir” para cima, permitindo carregar ou descarregar volumes pelas duas extremidades do avião simultaneamente.

Assim, o procedimento de carga e descarga poderia ser unidirecional, o que era particularmente vantajoso no caso de a carga serem veículos, já que assim não teriam que realizar marcha atrás (manobra complicada e perigosa de fazer dentro de um avião e que pode danificar o mesmo) para entrar ou sair do avião. Ou seja, eles poderiam mover-se dentro do avião apenas numa direção. Um tanque, por exemplo, poderia entrar pela parte da frente (no momento do carregamento) e sair por trás (aquando do descarregamento), ou vice-versa.

A fuselagem do Lockheed C-5A possuía dois pisos, passíveis de serem usados de forma variável para passageiros, para transporte de carga ou numa combinação de ambos.

Exatamente atrás da cabine dos pilotos havia uma pequena cabine para quinze passageiros; uma segunda, maior, foi instalada na parte superior da fuselagem e atrás das asas, podendo acomodar até 75 passageiros.

O compartimento de carga media 4,07 metros de altura, 5,8 metros de largura e 37 metros de comprimento. A sua capacidade era de, aproximadamente, 880 metros cúbicos. Isso é suficiente para, por exemplo, carregar dois M1 Abrams (embora por questões de segurança tal não se faça), quatro M2 Bradley, seis M1126/M1135 Stryker ou seis helicópteros Apache.

A partir de 1971 começou a ter um papel muito importante em termos logísticos na guerra do Vietname já que, de uma só vez e rapidamente, transportava grandes quantidades de carga para esse conflito. Porém, começaram a surgir problemas de fadiga de material nas asas do avião que tendiam a rachar em determinadas condições e o seu uso teve que ser limitado/restringido. Em 1973, com as 81 unidades produzidas, a produção foi cancelada.

Em 1977, a USAF decidiu resolver os problemas dos seus C-5A relacionados com as asas. Assim, em 1978, os C-5A começaram a ser refeitos com novos conjuntos de asas projetadas e fabricadas pela Lockheed. Após mais 178 milhões de dólares, 77 dos C-5A originais tinham sido elevados ao padrão C-5B.

 


PROFILES


   
   

 


Lockheed C-5B
- Avião de transporte militar - 

 

Alçado Lateral 700px
Alçado Superior Alçado Frontal Alçado Inferior 

 

Tripulação Comprimento Envergadura Altura Superfície alar
  75.50 m 67.90 m  m   m2
Peso vazio
Peso máximo à descolagem
Velocidade máxima Autonomia Altitude operacional
 kg  380 000 kg 870 km/h Entre 6 000 e 9 600 km  11 000 m 
Motorização
4 General Electric TF39-GE-1C, com 195 kN (19 880 kp) cada
Armamento
Desearmado

RESUMO DA VARIANTE/VERSÃO


O Lockheed C-5B foi a primeira melhoria no projeto do avião. Foi desenvolvido para ultrapassar os problemas com as asas surgidos na versão original mas acabou também por ser modernizado com novos aviónicos e motores TF-39-GE-1C mais potentes.

Nas novas asas foi utilizada uma liga de alumínio mais resistente, o que reforçou a estrutura da asa e lhe conferiu um alto grau de resistência à corrosão. 77 C-5 originais foram modernizados, passando ao padrão C-5B.

Em dezembro de 1984, o Galaxy justificou sua dispendiosa reforma/atualização, estabelecendo um novo recorde de transporte de carga útil e recordes nacionais de peso bruto de descolagem e de aterragem, mostrando estar finalmente apto a estabelecer-se como um aparelho seguro e muito eficiente de transporte de carga pesada.

Em 1986, a linha de produção foi reaberta para fabricar 50 novos C-5Bs aprimorados, que incorporaram as modificações e melhorias resultantes da experiência com o C-5A. O primeiro C-5B foi entregue à Força Aérea dos Estados Unidos em 1986. A produção desta versão durou três anos e terminou em 1989.

Tanto o C-5A como o C-5B tinham uma capacidade máxima de carga útil de 118 toneladas que podiam transportar até distâncias de 5526 km. Essas distâncias podiam ser maiores já que possuíam a capacidade de reabastecimento em voo. No entanto, em caso de conflito, como por exemplo no Vietname, podiam transportar cargas até 132 toneladas.

 


PROFILES


   
   

 


Lockheed C-5C
- Avião de transporte militar - 

 

Alçado Lateral 700px
Alçado Superior Alçado Frontal Alçado Inferior 

 

Tripulação Comprimento Envergadura Altura Superfície alar
   m  m  m   m2
Peso vazio
Peso máximo à descolagem
Velocidade máxima Autonomia Altitude operacional
 kg   kg  km/h  km   m 
Motorização
  
Armamento
  

RESUMO DA VARIANTE/VERSÃO


Lockheed C-5C foi a designação dada a dois aparelhos operados pela Força Aérea dos Estados Unidos para a NASA, sobretudo para o transporte de satélites e equipamentos espaciais de grandes dimensões ou extremamente pesados.

Para isso, o C-5 Galaxy sofreu algumas alterações por forma a aumentar e reforçar o compartimento de carga. As principais modificações passaram pela extinção do compartimento traseiro de passageiros; a divisão da porta de carga traseira em duas e a instalação de uma antepara móvel nova. Algumas fontes consultadas referem que a “porta” frontal deixou de existir.

 


PROFILES


   
   

 


Lockheed C-5M (Super Galaxy)
- Avião de transporte militar - 

 

Alçado Lateral 700px
Alçado Superior Alçado Frontal Alçado Inferior 

 

Tripulação Comprimento Envergadura Altura Superfície alar
7 75.31 m 67.89 m 19.84 m 576 m2
Peso vazio
Peso máximo à descolagem
Velocidade máxima Autonomia Altitude operacional
172 371 kg  418 000 kg 855 km/h 9 165 km  c/ uma carga de 129 000 Kg 11 850 m 
Motorização
4 turbofan de alto rendimento CF6-80C2 General Electric, 51.000 lbf (225 kN) cada
Armamento
Desarmado

RESUMO DA VARIANTE/VERSÃO


O Lockheed C-5, também conhecida por C-5M Super Galaxy é a versão atual e foi desenvolvida tendo em vista a redução dos custos operacionais.

Na realidade não se trata de um novo avião fabricado de raiz, mas sim de um upgrade aos aviões já em operação. A primeira atualização de um avião para o padrão C-5M foi realizada em 2006 e os voos de teste começaram nesse mesmo ano. Como os testes correram bem foi emitida uma ordem para a atualização de 52 aviões, atualização essa que começou em 2009.

O C-5M Super Galaxy atingiu a capacidade operacional em 2014, com a entrega de 16 aviões. Em 2015 já 30 aviões tinham sido atualizados e prevê-se que o projeto de atualização termine em 2018 com uma frota total reduzida para 52 aviões, que se prevê que permaneçam operacionais até 2030. Os C-5 não atualizados serão aposentados.

Os upgrades realizados incluíram novos motores comerciais General Electric F138-GE-100 (CF6-80C2L1F), aviónicos atualizados, novo sistema de piloto automático, revisão total da parte eletrónica, atualizações do trem de aterragem entre outras melhorias.

Os aviões C-5A / B Galaxy sempre apresentaram sérios problemas de fiabilidade que resultaram em baixas taxas de capacidade de missão. Na atualização para a versão C-5M tentaram resolver-se alguns desses problemas. Por exemplo, as taxas de falha e horas de manutenção supostamente foram reduzidas para menos de metade e a fiabilidade dos motores, supostamente, aumentou dez vezes. No entanto, mesmo assim, o C-5M Super Galaxy é muito mais problemático e caro de manter do que o menor Boeing C-17 Globemaster III.

Devido aos novos motores, o Super Galaxy é mais rápido, tem um alcance maior, bem como uma descolagem 30% mais curta e uma taxa de subida 38% maior. Para além disso, pode transportar mais carga já que tem uma capacidade máxima de carga útil de 130 toneladas, enquanto o original C-5A Galaxy podia transportar “somente” 118 toneladas.

O C-5M Super Galaxy tem uma autonomia impressionante quando atestado com as 150 toneladas de combustível que consegue carregar nos seus depósitos. Por exemplo, com uma carga de 54 toneladas pode percorrer mais de 9700 km. Se necessário pode ser reabastecido durante o voo.

Apesar da sua complexidade, o C-5M Super Galaxy é operado por uma tripulação relativamente pequena de sete elementos (dois pilotos, dois engenheiros de voo e três loadmasters, membro da tripulação responsável pela carga).

O C-5M é o maior avião operacional das forças militares americanas e é um dos maiores aviões do mundo. O compartimento de carga tem 36,8 metros de comprimento, 5,8 metros de altura e 4,1 metros de largura. O Super Galaxy possui, tal como os seus antecessores, a capacidade de ser carregado tanto pela sua parte fontal como parte traseira. Pode transportar dois tanques de batalha M1A2 Abrams (embora por questões de segurança tal regularmente não se faça), 10 veículos blindados de reconhecimento LAV-25 ou 16 HMMWVs. Em alternativa, pode transportar 36 paletes 463L padrão ou uma combinação de veículos e paletes. O C-5 também pode transportar uma unidade militar pronta para combate. O andar superior acomoda 73 passageiros. O andar inferior pode ser configurado para o transporte de 270 tropas completamente equipadas. Embora não seja habitual pode realizar lançamento aéreo de carga e também realizar a largada de paraquedistas.

Em 13 de setembro de 2009, uma aeronave C5M estabeleceu 41 novos recordes mundiais.

 


PROFILES


   
   

 


INFORMAÇÃO ADICIONAL


Sites e Blogs
Wikipedia-Pt Wikipedia-Eng Veículos e armamentos militares Veículos e armamentos militares
       
Bibliografia
Aviões de guerra Aviões-TPM    
 Aviões de Guerra Aviões - Tecnologia de ponta e mobilidade    

  


 Última atualização da página: 18/08/2019